Por Geovanna Domingos

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Já pensou?

Ontem fui na sua rua, você nem me viu, acho que estava muito tarde, e eu estava torcendo para você não estar lá do mesmo jeito, estava frio, ninguém na rua, apenas eu.. e eu. Entrei na casa dos meus tios. Muita gente. Ninguém para conversar, as pessoas ainda me perguntam de você sabia? Eu não sei porque, como se eu soubesse como você está, ou o que está acontecendo contigo, apenas balanço a cabeça e digo que não sei, e mudo de assunto.
Não sei porque mais estou me sentindo sufocada aqui, é difícil saber que estou apenas uma casa de distância de você, eu queria que você estivesse andando de bicicleta agora, queria estar lá em cima, na varanda do meu avô, tocando violão para você em particular, queria estar sozinha, sair correndo ir lá para cima e pegar a velha viola do meu avô, e compor uma história para a gente, sozinha, sem ninguém para me incomodar ou dar palpites na minha vida.
Mas isso não vai acontecer, pelo menos não hoje, quem sabe fim de semana que vem? Sei lá, segunda vou te ver de novo, estamos nos momentos finais na escola né? Acho que quando tudo isso acabar vai ser mais fácil para nós, sem a pressão, sem a vergonha, sem o medo, para nos distrair. Vamos crescer, você vai sair de casa, vai comprar um carro da moda e vai morar sozinho em um apartamento, ou vai dividir uma casa com amigos, vai conhecer uma menina em uma festa, vão ficar, vão para o cinema no dia seguinte, vão ficar de novo, ai você vai ver que gosta até demais dela, vai trata-la como princesa. Com uns 5 meses de enrolo , você vai para o shopping, vai passar na frente de uma joalheria, vai ver um anel e vai compra-lo, vai leva-la para jantar, e vai pedi-la em namoro, e ela vai aceitar e vocês vão ser felizes.
Espero que sua vida seja assim, e espero ser está garota sortuda, que você vai encontrar em uma festa qualquer.
Geovanna Domingos.

Postar um comentário

As palavras que eu te dei

Eu me joguei no sofá. O silêncio veio me receber. Suas coisas já não estavam mais no meu apartamento. A gente cansou de brincar de se gost...