Por Geovanna Domingos

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Sentar e esperar

Final de aula, o sinal bateu, sei que você vai estar encostado na parede perto dos bebedouros, você sempre está lá, com os fones no ouvido, observando as pessoas, esperando seus amigos da sala de cima, eu desço as escadas correndo, mas na hora de passar na sua frente, desacelero um pouco, porque esses são os poucos minutos que nos vemos no dia, tirando o intervalo, que também é muito pouco tempo. Passo por você, nos olhamos, você deixa de prestar atenção na sua música nesse tempo, eu deixo de prestar a atenção em tudo, desvio o olhar e vou embora, pronto, foi só isso.
Eu falaria com você, já falei antes, mas agora não dá, porque toda vez que eu penso em dizer alguma coisa eu desisto, porque tenho medo, medo de me machucar, de te machucar, e de você me machucar. O celular é uma tentação, mas estou cansada da gente nunca ter se falado muito cara a cara, é mais fácil quando aquela telinha nos esconde né? É mais fácil quando deixamos tudo assim, sem mágoas, sem ninguém para ferir, sem ninguém para decepcionar. Tem horas que odeio, tem horas que te amo mais que tudo. Tem dias que apenas fico sentada, esperando você passar, esperando te esquecer, mas acontece que essa droga nunca acontece! E você? O que está fazendo agora? Sentado esperando eu fazer alguma coisa? Ou com medo igual a mim? Pelo o que eu estou percebendo o medo não move ninguém, não temos nada a  perder, mas mesmo assim temos medo, mesmo assim somo inseguros. Acho que é melhor deixar assim, sem mágoas, sem desilusões, sem expectativas, vamos deixar a vida surpreender a gente. Não quero que o destino escolha por mim, quero que ele, ou alguém la em cima me mostre o que fazer, por enquanto não faço ideia, a única coisa que sei é que gosto de ti, mais nada, isso que é fogo viu? Hoje vou ficar sentada, não esperando te esquecer, mas lembrando de você e tentando descobrir o que fazer, acho que você deveria fazer o mesmo meu bem.

Postar um comentário

As palavras que eu te dei

Eu me joguei no sofá. O silêncio veio me receber. Suas coisas já não estavam mais no meu apartamento. A gente cansou de brincar de se gost...