Por Geovanna Domingos

sábado, 27 de dezembro de 2014

Dúvidas garotos e Rock n' Roll: capitulo 12 Pedro

Já faz uma semana que Sophi não vem para a escola. Ouvi dizer que ela ainda não se recuperou da cirurgia. Tentei falar com os amigos dela, mas todos eles falaram a mesma coisa "eu não posso dizer nada, a família de Sophi pediu sigilo"
Pedro parecia um zumbi pela escola, sua palidez antes "atraente" , segundo as meninas, agora parecia assustadora, ele estava com olheiras profundas, seus olhos azuis pareciam ter perdido um pouco de vida, ele estava mais magro também.
Olho em volta e pego outro livro da biblioteca da escola. O lugar era grande e iluminado, tinha computadores encostados na parede branca, tinha pufs espalhados em todos os cantos. Tinha três estantes separadas para os livros mais surrados, eu estava na seção filosofia, procurando um livro para a aula de inglês. Quando viro para sentar em um puf vejo Pedro entrando na biblioteca, ele estava com jeans escuros folgados, seu cabelo, antes penteado, agora estava molhado e bagunçado.
Ele parou na seção fantasia, eu conheço apenas uma pessoa que gosta desse tipo de leitura
-Ela pediu para você pegar algum livro?
-E aí Fernando! Ela pediu para eu ver se tinha alguma novidade neste lugar.
-Como ela está? E nem vem me dizer "Eu não posso falar", porque eu já recebi essa resposta umas 10 vezes só hoje.
-Ela está em casa se recuperando da cirurgia.
-Mas já fazem uns 10 dias.
-Eu sei, mas é que foi meio complicada então....
-E você cara como está? Não me parece muito bem.
-Estou apenas cansado. Passar noites no hospital não é  fácil.
-Sei, mas se você quiser, eu posso entregar o livro para a Sophi, aí você pode ir para a casa descansar. Eu já estava querendo ver ela mesmo..
-Obrigado, mas eu não sei se ela quer ver alguém de fora agora.
-Mas você me disse que ela estava bem.
-Eu sei mas, é complicado. Mas eu falo para ela que você mandou um oi.
-Claro que fala.
-Agora eu tenho que ir. Tchau
-Tchau.
Ta bom Pedro, acredito em você. Obvio que Sophi quer me ver. Ninguém sabe, mas uma noite quando ela estava no hospital, eu entrei de fininho no quarto dela, os pais estavam com o medico e Pedro teve que ir para casa. Sophi estava dormindo, mas eu sentei do lado dela e peguei em sua mão, ela abriu um pouco os olhos e depois os fechou, com certeza ela se lembra disso. Tivemos uma conexão, e Pedro nenhum vai nos separar.
Não achei a porcaria do livro. Suspirei e sai daquele lugar, como Sophi conseguiu passar a maior parte do tempo aqui? Fui para o corredor do meu armário, o piso branco encerado estava muito liso, os armários vermelhos estavam todos fechados, estava apenas eu no lugar. Abri meu armário e peguei minha mochila, meus fones de ouvido e alguns livros para fazer a lição de casa.
Saí da escola e fui para a casa de Sophi. Dane-se o que o Pedro disse. Sophia precisa de mim.
Parei na entrada da casa, e apertei a campainha. A mãe do Sophi, Ana, apareceu, ela estava usando um vestido preto com flores brancas desenhadas nele, usava sapatos estilo boneca pretos também.
-Olá Fernando, posso ajudar?
-Posso ver a Sophi?
-Ela não pode receber visitas, no momento ela está indisposta. Mas eu digo a ela que você passou aqui.
-Então porque o Pedro está aqui?
-Ele é NAMORADO de Sophi, eles tiveram uma ligação muito forte. Sophia Precisa dele e ele precisa estar do lado dela.
-Ela está bem? Por que não pode receber visitas?
-Fernando por favor não insista. E mesmo se ela pudesse receber, ela está dormindo agora, nem vai reparar em você.
-Por favor dona Ana! Um segundo, me deixe ver Sophi?
-Um segundinho?
-Um segundo.
-Ok, mas não a acorde.
-Obrigado.
Entrei na casa dela, estava diferente desde a última vez que vim aqui. A sala grande estava com uma estante preta e marrom elegante, a Tv gigante estava grudada na parede branca, eles trocaram o lustre. O sofá vermelho era grande e parecia aconchegante cheio de almofadas, a mesinha de centro tinha revistas e controles remotos. A escada que dava nos quartos continuava impecável, com um corrimão de madeira escura, subi e vi que o quarto de Sophi estava com a porta ligeiramente encostada.
Com apenas uma leve batida minha ela se abriu, primeiro eu vi uma garota na cama, quando me aproximei vi que era Sophi. Ela estava... diferente.
Seu cabelo estava sem brilho, sua pele estava mais pálida do que o comum, e ela havia perdido peso... muito peso.
-Que porra é essa?- eu disse sem pensar.
-O que você está fazendo aqui?
Só agora que eu percebi que Pedro estava sentado na poltrona do lado da cama.
-A mão dela me disse que eu podia entrar um segundo para vê-la. Mas me disse que Sophi estava dormindo. O que aconteceu com ela?- apontei para a garota que estava na cama.
Pedro deu um suspiro e me empurrou para fora do quarto.
-Não fale assim! Já viu ela, pronto pode ir embora.
-Não me diga o que aconteceu!
Ana subiu correndo as escadas.
-Rapazes parem! Fernando vá embora.
-O que aconteceu com a Sophi? Por que ela está desse jeito?
-Cara cala a boca! Sai daqui!
-O que foi Pedro? Já cansou do teatrinho de "vamos deixar isso para lá" ?
-Cara eu fui sincero com você! Mas se você não quer acreditar problema seu!
-Fernando por favor. Saia daqui.
Olhei para dona Ana e para o Pedro, desci as escadas correndo e saí pela porta. Ele ainda me paga
Postar um comentário

As palavras que eu te dei

Eu me joguei no sofá. O silêncio veio me receber. Suas coisas já não estavam mais no meu apartamento. A gente cansou de brincar de se gost...