Por Geovanna Domingos

sábado, 13 de dezembro de 2014

Dúvidas, garotos e Rock'n Roll: capitulo 4 Sophia

Adormeci no sofá da sala de música, mas acordei no meu quarto, nossa eu deveria estar muito cansada para não acordar, meus pais devem terem ido me buscar. Estou voltando a deitar, quando alguém bate na minha porta.
-Pode entrar.
Assim que digo isso me arrependo, nem sei como está o meu cabelo, nem a roupa que eu estou vestida! Meu pai entra no meu quarto, sua camisa branca estava ligeiramente amassada, suas calças largas estavam um pouco sujas, ele deveria estar andando de skate, já que hoje é.... sei lá que dia é hoje!
-Posso falar com você pequena?
-Claro!
Sentei na cama e passei a mão pelos meus cabelos (tentando) desembarassalos.
-Então, o que a senhorita estava fazendo lá na escola dormindo?
-A Vera pediu para eu ir lá, vai ter outro festival! E eu me inscrevi, e nós estávamos vendo que música vou cantar, e eu decidi cantar uma minha!
-A Vera já me disse isso, estou orgulhoso de você! Mas por que não voltou para casa? Por que ficou por lá?
-Porque eu precisava pesar um pouco.
-Fernando de novo?
-Pai!!!
-O que é? Eu sei das coisas!
-Não é só o Fernando, é o Pedro também.
-Espera aí, esse Pedro é personagem novo. Quem é ele?
-É um garoto da minha escola, nós conversamos muito e eu estou, meio em dúvida....
-Escute querida, eu não sei se eu entendi muito bem a história, mas não tome nenhuma decisão agora, você acabou de conhecer esse garoto, então vá com calma, deixe o seu coração pensar um pouco, depois escute a decisão dele. Não espere que este Pedro seja perfeito, nem que ele substitua o Fernando na sua vida, porque ninguém que passa na nossa vida é substituível.
-Então está dizendo que mesmo depois de tudo que o Fernando fez para mim, eu devo continuar gostando dele?
-Não, estou dizendo para você não tomar decisões precitadas, Sophi vários garotos vão aparecer na sua vida, e todos eles vão ser únicos em sua vida, não tente substituir ninguém, apenas adicione pessoas na sua vida, está bem?
-Está bem.
-E é melhor serem bons meninos viu?
Deu um beijo na minha bochecha e saiu do meu quarto. Peguei meu celular para ver que dia que é hoje.
Sexta, dia da festa do terror na escola, foi aí que eu percebi que eu não tinha roupa alguma para vestir. Bryan, estava na frente do meu guarda-roupa, tirei ele de lá,e fui procurar alguma, achei tudo, ate um portal para Narnia, menos a roupa que eu queria. Até que lá no fundo o armário achei um vestido curto, rendado rosa e uma meia calça preta toda desfiada. Perfeito! Me vesti, calcei sapatos pretos estilo boneca e fiz uma maquiagem leve.
Desci as escadas e olhei para os meus pais:
-E aí? Que tal?
-Você está linda tampinha!... Trate de ficar em casa.
-Pai!!
-Pare com isso Carlos! A menina é jovem tem que se divertir mesmo! Está linda filha!
-Valeu mãe!
-Quando seu amigo vai chegar?
-Sei lá, daqui a pouco acho.
-Estou louca para conhece-lo.
-Mãe não! Por favor!
-Qual é filha! O que tem de mais seu pai e eu conhecermos o rapaz?
Bling, meu celular tocou, mensagem nova:
"Soph, eu já estou na sua porta, pode vir abrir?"
-Ele chegou, tchau gente.
-Espera aí mocinha. Não vai convidar o garoto para entrar?
-Pai!
-É eu sou seu pai, agora vamos tampinha deixe o rapaz entrar.
Suspirei e abri a porta, Pedro estava lindo para ser franca, ele estava vestindo jeans pretos largos, e uma camiseta vermelha contrastando em sua pele pálida, e ele vestia um blaser chique preto.
-Uau! Tudo isso só para uma festa na escola?
-Você está falando o que? Todos os meninos só vão olhar para você.
-Ta não força.
-Então querida quem é seu amigo?
-Pai esse é  o Pedro. Pedro esses são meus pais, Carlos e Ana.
-Prazer em conhecer vocês.
-Prazer em conhece-lo também.
Silêncio absurdo.
-Então Pedro, vamos?
-Esperem aí. Pedro sente aqui um minuto, quero lhe fazer algumas perguntas.
-Pai!
-É eu já disse que sou seu pai. Então Pedro, quantos anos tem?
-15.
-Trabalha?
-Não.
-Planos para a faculdade?
-Sim, quero ser biólogo.
-Impressionante.
-Obrigado senhor.
-Senhor está no céu filho.Então acho que já prendi vocês de mais, podem ir, e traga a Sophia até meia noite, está ouvindo?
-Claro, obrigado.
-Tchau mãe, tchau pai, amo vocês.
Saimos de casa e começamos a caminhar em direção a festa, Pedro pegou em minha mão, e começou a dar risada.
-Foi tão embaraçoso para você como foi para mim?- perguntei.
-Ele é legal, está apenas preocupado com você.
-Ele gostou de você, se ele não tivesse gostado, ele nem deixaria você passar pela aquela porta comigo.
-Isso parece um bom sinal, o sogrão eu já ganhei e a sogra também.
-Vai com calma colega.
-Estou só brincando.
E falando isso, ele me abraçou e viramos a esquina e entramos na escola.

Postar um comentário

As palavras que eu te dei

Eu me joguei no sofá. O silêncio veio me receber. Suas coisas já não estavam mais no meu apartamento. A gente cansou de brincar de se gost...