Por Geovanna Domingos

sábado, 31 de janeiro de 2015

Aceitando o proprio corpo #VcConsegue

Oi meninas!
O post de hoje, vai ser sobre, um assunto delicado e particular. Muitas garotas não conseguem aceitar o próprio corpo, eu não aceito o meu corpo. Confesso que me acho gorda e ate já falei que me odeio! Sei que isso é errado, e que devo trabalhar nisso e me aceitar... Hum falar é fácil né pessoal?
Eu sempre fui "gordinha'' emagreci muito com uns 12 anos, e com 13 emagreci também, mas não do jeito certo.
Meninas eu sei como é isso, eu me sinto fraca, a menina mais feia do mundo, tem vezes que ate cubro o espelho de meu quarto para não ter que ficar me vendo toda hora que passo na frente dele. Quando vou na loja comprar uma calça jeans ou uma roupa qualquer fico chateada que aquela calça não entrou em mim. Não sou o tipo de pessoa que pensa " ok é só eu pegar um número maior",
Não me amo e não me sinto bonita todos os dias, tem dias que eu me conformo, mas tem dias que eu me acho feia, gorda e baleia. Tem dias que eu apenas me tranco em algum lugar e começo a chorar. Me perguntado o por que. Me pergunto porque não posso ser magra? Queria que os ossos das minhas costas fossem mais visíveis e minhas costelas também.
Me sinto muito mal mesmo, porque quando estamos tão frágeis e desprotegidas, podemos correr o risco que duas amigas venham nos visitar a Ana e a Mia.
Estou lutando com todas as minha forças para não escuta-las.
Cada dia é uma batalha garotas, e nós somos guerreiras, nós conseguimos.
Então se você está passando por uma coisa assim, não desista, eu sei que é difícil, sei que dói, mas você não esta sozinha.
Não faça isso com você mesma, seja forte, tenha o controle de si mesma.
Se ame, eu me amo, tenho alguns altos e baixos, mas no final do dia estou de pé e é isso oque importa!
Não importa  o que os outros dizem, você tem que estar bem com você mesma, porque você é sua própria melhor amiga. Você é um diamante garota! Uma pedra valiosa neste mundo! Acredite em si mesma e em seus sonhos.
Não de ouvidos para o que essas revistas, para esses programas de televisão em fim... você não é um produto para ser rotulada, você é uma pessoa linda que tem que acreditar em você mesma!
Ei garota você é uma guerreira!
Com fé vamos vencer essa batalha meninas!
#VcConsegue.


Estou com vocês garotas!
Bjs.


quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Dúvidas garotos e Rock 'n Roll: capitulo 15 Sophia


Doutor Henrique ligou parra minha mãe umas 2 horas atrás, pedindo para que fossemos ao hospital, pois meus exames já  tinham saído.
Minha mãe estava um pouco pálida, coisa que era rara de acontecer, ela tinha perdido peso e olheiras, que ela nunca teve na vida, estavam começando a aparecer.
Eu destruo todos a minha volta!
Encontrar algum jeans que não ficasse caído era uma missão difícil, mas com a ajuda de um cinto consegui. Pouco tempo depois chegamos ao hospital. O lugar me dava arrepios, odiava aquilo, quanto mais cedo saissimos dali melhor.
-Sophia?- disse a secretária do hospital- o D. Henrique vai atende-la.
-Obrigada.
"É agora" pensei, vamos finalmente descobrir o que raios eu tenho. Percebi que minha mãe estava tremendo do meu lado.
Sim eu não presto, destruo tudo!
Peguei a mão dela e dei um sorrisinho, querendo passar a impressão de que estava bem e otimista. Não sei se consegui.
-Olá. D. Ana posso falar com Sophi a sós por um minuto? Daqui a pouco chamo a senhora. Por favor.
-Tudo bem... eu...vou...pegar um café.
E suspirando ela saiu da sala, não sei porque mas um pânico começou a crescer dentro de mim, queria sair correndo atrás dela e pedir para não me deixar aqui, como algumas crianças fazem no primeiro dia de aula.
-Então Sophi.
Disse Henrique (é assim que eu  o chamo) cruzando os braços.
-Então Henrique.
Disse fazendo a mesma pose.
-Seus resultados saíram e queria que fosse a primeira a vê-los, sem ninguém por perto, preciso ver sua real reação. Não quero que a suavize nem a dramatize por alguém está aqui. Quero saber a verdade. Ok?
-Entendi.
Ele puxou um envelope branco com o nome do Hospital impresso nele. Peguei o envelope em minhas mãos, havia bastante papéis lá dentro.
-Você já viu?
-Sim Sophi, eu já vi.
Abri o envelope de vagar, os segurei com as mãos tremulas e comecei a ler em voz alta.
-Foi confirmado que a paciente Sophia Devonne está com depressão. O acidente que a mesma sofreu causou grandes sequelas. A paciente precisa ser internada em uma clinica para o seu próprio bem, pois ela esta desenvolvendo o ataque do pânico e sem se dar conta a anorexia.
Quando terminei de ler deixei o papel cair no chão. Depressão? Eles estão errados. Internação? Com certeza eles estão errados.
-Eu sei que é difícil processar tudo  isso, mas Sophi se você...
-Henrique  isso aqui está errado! Isso não é meu! Deve ser de outra Sophia Devonne! Não sou eu!
-Sophi, tem as assinaturas de seus pais!
Comecei a sentir uma raiva crescendo dentro de mim, estou com raiva, raiva da situação, raiva... de mim mesma! Como me odeio! De repente tudo começou a girar, caí no chão, mas nem senti a dor da queda, coloquei a cabeça entre os joelhos e comecei a chorar e a contar.
-Sophi venha, me de a mão.
1...2...3
-Sophi não estou brincando venha!
4...5...6
-Sophia eu vou precisar gritar mais com você?
7...8...9
Henrique pegou no meu braço e me levantou, me colocou na cadeira, ainda não tive coragem de olhar para ele, comecei a contar, só que em voz alta.
-10...11...12
E chorei, chorei até meu peito doer, comecei a gritar.
-Aqui tome esse calmante.
Tomei o remédio doida para poder escapar dessa situação, mas o  remédio não me fez apagar, apenas me fez ficar um pouco menos nervosa.
-Agora acalme-se. Eu sei que é difícil e um pouco radical, mas é para o seu bem. Agora sabe porque eu não quis sua mãe aqui. Vou chamar ela lá ma cafeteria, já volto.
Então ele saiu da sala.
E se minha mãe me visse daquele jeito? Eu tive um ataque! Não posso fazer isso na frente dela.
Alguém abre a porta e vejo meu pai entrando na sala.
-Oi pai.
E me joguei nos braços dele e comecei a chorar. Chorar como uma criança, e depois de alguns minutos parei.
-Oque deu nos exames tampinha?
Não falei nada, apenas peguei os papéis jogados e dei nas mãos dele. Ele leu e releu, parou olhou para mim e vi seus olhos encherem d'água. ótimo! Mais uma pessoa que eu faço chorar.
-Sua mãe já sabe?
-Não, o doutor deve estar contando para ela agora.
...................................................................................................................................................
Voltamos os trés juntos para casa e nenhum de nós disse uma palavra sequer.
Chegando em casa fui direto para o meu quarto. Isso não pode acontecer! Minha família está se afundando! Não vou para um clinica! Isso vai piorar tudo! Tem que ter outro jeito!
-Só se...
Será que eu conseguiria? Era uma escolha arriscada. Mas se eu fizesse teria que ser rápido sem pensar e...essa noite.
.....................................................................................................................................................
Passei o máximo de tempo com os meus pais, meu irmão e Bryan, falei com meus amigos pelo telefone e... não tive coragem de falar com Pedro. Sei que não conseguiria esconder meu plano dele e ele tentaria me impedir.
Esperei todo mundo da casa ir dormir, todas as postar estavam fechadas, juntei algumas roupas na mala, peguei minhas economias e desci as escadas na pontas dos pés.
Destranquei a porta e dei uma ultima olhada na minha casa.

'Adeus' Sussurrei e fechei a porta atrás de mim e sai sem rumo.

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Olhando de um novo ângulo

Algumas pessoas já me falaram que, se eu escrevo músicas sobre amor e relacionamentos meus, eu tenho que estar todo o tempo apaixonada por alguém, ou sofrendo. Na cabeça delas, músicas sobre amor só nascem quando nós estamos magoados ou apaixonados.
Mas isso não é verdade.
Eu não preciso estar com o coração partido, ou gostando de alguém para escrever alguma coisa. Estou em uma vibe de "dar um tempo" e estou muito bem, obrigada. E mesmo assim continuo escrevendo músicas.
Agora olho para trás e vejo que minhas brigas com alguns garotos que foram...cômicas.
Tenho vontade de rir toda vez que me lembro, sofri na época, mas agora vejo que elas apenas me ajudaram a crescer, não sinto raiva de nenhum garoto, porque eu não quero perder meu tempo tendo raiva deles,
Estou indo muito bem, e tudo o que conquistei não precisei da ajuda de nenhum. O que vai adiantar eu ficar com raiva? O que vai adiantar eu ficar lembrando das coisas ruins?
Olhando para trás, gosto de lembrar dos momentos bons, dos momentos em que eles me fizeram rir.
Quando alguém que gostamos nos magoa, por um tempo só conseguimos pensar no mal que aquela pessoa fez para a gente, nos momentos ruins. É como se as boas lembranças fossem deletadas auto maticante de nossa cabeça.
Raiva não é uma coisa boa de se sentir, com o tempo ela vai te dominar e transformar você em alguém que não é.
Lembre de todos os momentos bons que você teve, a sensação de SEGUIR EM FRENTE vai entrar no lugar da raiva.
Então, tente olhar por outro ângulo.




Beijos pessoal!
Ge.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

10 Gifs que resumem o primeiro dia de aula

Sim gente infelizmente (e felizmente também vai!), as ferias acabaram. A realidade está batendo na porta de nosso quarto e nos arranca da cama para encarar a amada e odiada ESCOLA!

1- Você recebe uma visitinha de um amigo que você não via a muuuito tempo.... seu despertador.


2- Você se arrasta da cama, criando forças para ir se arrumar.


3-Então você vai no banheiro e vê o estado que está seu cabelo, seu rosto todo inchado..."Não pera tenho que arrumar isso aqui."


4- Você não sabe de onde tira coragem para sair de casa e ir para  o carro de sua mãe (ou ir apé :p)


5-Você entra na escola o mais discreta possível... SQN



6- Você mal pisa no lugar e já sabe vaaaarias fofocas da galera.


7- Hora de conhecer professores novos...


8- Olhe pelo lado bom! Tem um garoto novo bonito!


9- SQN


10- Nossa escola não pode ser a melhor... mas não importa o que aconteça sempre vamos sentir saudades dela <3 <3


Boa volta as aulas pessoal! Beijos
Ge.

Você não acha que eu sou jovem demais?

"Boa noite"
Mensagem visualizada com sucesso.
"Bom dia"
Mensagem visualizada com sucesso.

Ok, ok. Ele deve estar ocupado, devo ignorar  o fato de ele estar online, o fato de ele ter visto que eu estava online. Seu eu fizer um forço posso ate esquecer  o jeito que ele tinha sido carinho e fofo na noite passada.
Posso esquecer a voz suave e calma dele.
Será mesmo que consigo?

Primeira noite que não converso com você, primeira madrugada que você me obriga a passar sozinha. Você sumiu.
14 anos, não acha que sou nova demais para as suas brincadeiras?
17 anos, você não acha que é velho demais para se comportar desse jeito?
Ontem eu voltei para casa sem entender nada, você não se importou com o meu choro, você não se importou com meu rímel borrado. Você penas sumiu, resolveu se perder, e se certificar que eu não te encontraria.
Eu não sei quem você é,
Eu não sabia que você era capaz de fazer isso.
Achava que você era o cara bom. Me arrependo que não ouvi ninguém, quando me disseram que você não era confiável, quando me acusaram de ter perdido minha cabeça, sim eu estava me apaixonando por você.  Pois você estava desenterrando meu coração depois de tanto tempo do gelo, mas depois você o colocou lá de novo, só que mais findo dessa vez.
Você inventa desculpas toda a hora, eu era uma pequena boneca em suas mãos, e agora você quer me jogar fora.
Muito jovem... não acha que eu sou jovem para ser sua vitima?
A noite está demorando de passar, ela está mais fria também, minhas lagrimas, que não vinham me visitar a um bom tempo, caem silenciosamente.
Cara você errou feio.
Jovem demais...


BLOQUEAR ESSE CONTATO?
SIM    NÃO



Sim.




Ge


Dúvidas, garotos e Rock 'n Roll: capitulo 13 Sophia

Ignorei os barulhos vindo do corredor, sabia que alguém estava discutindo com alguém. Só não fazia ideia de quem era. Não consegui reconhecer nenhuma das vozes, nem sabia dizer se eram homens ou mulheres.
Eu não conseguia ouvir as pessoas muito bem agora, minha própria voz não deixa. Depois do que o médico falou no hospital. Essa lembrança sempre invade minha cabeça.
Eu me lembro que tinha dito para o Doutor Henrique que todo mundo morria, só que algumas pessoas iam mais cedo. Depois ele conversou comigo e com meus pais e com o Pedro também.
Dizendo que os exames mostraram que ouve danos no meu cérebro, danos quase irreverssíveis. Na noite do acidente bati minha cabeça com muita força na pedra, ele disse que dentro do caso, era de se esperar que eu agisse assim, não falando, não comendo, não saindo do quarto. Parecendo um zumbi.
-Ela entrou no estágio de simples mente sentar e ver o que acontece.
Senti a tristeza de meus pais na hora, Pedro ficou apenas ali, sentado olhando pro nada. Uns dias depois voltei para casa, com um remédinho novo para tomar. Como se isso fosse novidade.
De volta ao meu quarto eu não paro de me perguntar.
"E agora? O que vai acontecer?"
Me levanto da cama, parece que a discussão tinha acabado lá fora. Faz uns dias que eu não me preocupo com minha aparência, não me olho no espelho a dias. Caminho em direção ao grande espelho que está encostado no meu quarto, eu o tinha coberto com várias roupas e panos, não queria correr o risco de ver meu reflexo, nem que seja de relance. Tomo um susto quando o espelho revela uma garota que se você espremece os olhos e olhasse de longe pareceria comigo.
Não sabia que meu cabelo estava tão bagunçado, meu corpo estava... esquelético. Meus olhos tinham perdido a vida, e tinha uma coisa diferente também ,não na minha aparência, mas uma coisa mais profunda, como se tivesse alguma coisa podre dentro e mim.
-Posso entrar?
Pedro bateu na porta, com uma expressão um pouco mais feliz do que nos últimos dias, como se o fato de eu estar fora da cama ou da janela, já fosse uma melhora.
-Como você está Sophi?
-Olha o que aconteceu comigo.- disse olhando para a garota que estava no espelho.- Como foi que isso aconteceu? Nem sei como você pode me olhar!
Meus olhos se encheram de água, me joguei no chão com as mãos na cabeça, com vontade de... de... sei lá o que! Mas de descontar minha raiva em alguma coisa.
-Sophi não diga isso! Eu te amo, e acho você linda! Olha mesmo quando nós tivermos 80 anos, eu vou t achar a menina mais linda desse mundo.
-Não diga coisas que você não pode cumprir! Não temos nem 16 anos! Não pode sair por aí dizendo essas coisas!
-Por que não? Sophi somos muito jovens, eu sei disso não sou idiota, mas eu nunca senti o que eu sinto por você. Minha vida toda, eu procurei fugir de todos os meus problemas, eu era quase um moleque de rua, fugia dos meus problemas, não pedia ajuda por orgulho, fazia coisas de crianças. Mas aí eu te conheci e vi que a vida é muito mais do que eu esperava, eu vi que existe felicidade, você proporcionou os meus melhores e mais felizes momentos. Sophi não pense nem um minuto, que eu não te amo. Olha para mim. Eu te amo.
-Eu também te amo.
Então nos beijamos, como não háviamos nos beijado a dias, nos separamos para pegarmos ar, e nos beijamos de novo, eu me deitei no chão, Pedro se deitou em cima de mim. Mas o chão era muito desconfortável. Afastei Pedro e me levantei, puxei ele, e caímos na cama, nos beijando. Percebi que ele perdeu peso também, mas ele ainda estava em forma.
Meu celular começou a tocar, Royals da Lorde, pulei da cama e comecei a procurar ele.
-Sério Sophi? Agora?
-É Fernando. Alô?
-Sophia? Oi! Como você está? Parece ofegante.
-É... eu estava... fazendo... exercícios.
-Nossa, parece que você estava concentrada.
-Você não faz ideia.
-Então, eu estava pensando se eu poderia ir te visitar.
-Me visitar?- olhei para o Pedro, ele começou a fazer um "não" com a cabeça- hum eu vou ver se tenho algum exame hoje ou amanhã, aí eu te falo.
-Ok, me liga. Beijão.
-Tchau.
-Sophie, faça qualquer coisa menos receber esse cara na sua casa.
Suspirei e voltei a deitar na cama, virei de lado e olhei para Pedro.
-Por que ele não pode vir aqui?
-Porque da última vez que ele veio aqui, você estava dormindo, ele invadiu aqui, eu e ele brigamos, sua mãe depois veio tentando separar e parar ele, e quando ele te viu ele perguntou...
-O que ele perguntou?
-O que tinha acontecido com você.
-Que coincidencia, eu também quero saber.
-Não fique assim Sophi, eu estou aqui para você.
Falando isso ele me deu um beijo, e começou a acariciar meu cabelo, eu dei um sorrisinho para ele.
-Obrigada.
Então ele piscou para mim, então eu fechei meus olhos e entrei em um sono profundo.
...........................................................................................................................
Quando abri meus olhos não estava no meu quarto, Pedro não estava do meu lado. Eu estava em uma floresta, estava de noite, comecei a correr, os galhos dos arbustos estavam fazendo arranhões na minha pele. Comecei a ouvir vozes e comecei a ver sombras elas estavam me seguindo. Tropecei em um tronco de árvore, quando cai no chão, senti uma coisa pegajosa de baixo de mim, tentei me levantar, mas uma névoa preta saio do chão.
A névoa começou a me sufocar, tento escapar mas não consigo.
...........................................................................................................................

Dúvidas, garotos e Rock 'n Roll: capitulo 14 Pedro

Sophi estava gritando muito, parecia que estava sufocando.
-Sophi! Acorde!- ela começou a me bater, tentando se defender- Sophia! Acorde! Sou eu! Pedro!

Ela abriu os olhos, estava mais pálida do que o normal. Ela começou a respirar fundo, se recuperando do sonho ruim.
-O que foi meu amor?
-Sonhei que tinha caído e estava sendo sufocada por uma névoa... foi só um sonho idiota, nada de mais.
-Sério? Porque você está gritando! De verdade você me assustou.
-Desculpe.
-Tudo bem. Agora venha aqui, parece cansada ainda.
Então coloquei meus braços ao redor dela, ela deitou a cabeça no meu peito, se aninhou, por mais que seja começo de verão, aquele dia estava frio, e a Sophi estava com febre nesses dias, ou seja frio em dobro.
Depois de uns 10 minutos, ela pegou no sono de novo. Eu quase estava dormindo também, quando Dona Ana bateu na porta do quarto de Sophi e nos viu, ela fez uma expressão um pouco constrangida.
-Pedro.- ela sussurrou meu nome- a Doutora Vanessa quer falar com você lá na sala por um minuto.
Demorei um pouco para lembrar quem era a Doutora Vanessa.
-Cla..cla..claro, D. Ana.
Me levantei e já estava na porta, quando ela falou:
-Não prefere colocar a camisa antes de descer?
Então ela apontou para a minha camisa azul clara que estava embolada, jogada no pé da cama de Sophi. Meu rosto deve ter ido do vermelho para o roxo.
-Desculpe, não vai mais acontecer.
-Depois falamos disso. Vamos?
Vesti a camisa e desci as escadas. Uma mulher jovem estava sentada no sofá, com uma prancheta familiar na mão direita, e uma xícara de café na mão esquerda.

Quando ela me viu deu um sorriso simpático e se levantou.
-Então este é o famoso namorado protetor. Pedro?
-E você é a famosa psiquiatra que a Sophi se recusa a ver. Vanessa?
Ela deu uma risada nervosa.
-Acho que podemos colocar assim, como preferir.
-Então, a Dona Ana falou que você queria falar comigo.
-Eu estou falando com todo mundo que Sophia tenha contato, já falei com a mãe dela, o pai, amigos, irmão, e agora quero alar com você.
-Já falou com o Bryan? Ele que sabe mais coisas de Sophi, do que todos nós.
-Quem é Bryan?
-O cachorro dela. Bate um papo com ele,talvez ele te... lata alguma coisa.
Não ia com a cara daquela mulher, e quando ela anotou alguma coisa naquela maldita prancheta! Ela por acaso estava me avaliando? Agora eu sei o que Sophi quis dizer, quando ela disse que, quando se estava com aquela mulher, parecia que tinha vários tubos ejetados em você, no seu cérebro, e parecia que ela queria entrar pelos tubos na sua mente.

-Pedro, eu só quero saber como era a sua relação com a Sophia. Quem é Sophia na sua opinião?

Aquela pergunta era interessante.
-Você fez essa pergunta para os outros também?
-Fiz, mas não posso lhe dizer o que responderam. Isso é pessoal.
-minha relação com Sophi também é pessoal.
-Exato então se não quiser falar sobre a "relação" de vocês, não fale. Fale apenas do que Sophi representa para você. Quem é a Sophi?

-Tudo bem.-respirei fundo, e me sentei no sofá- Sophi... é tudo para mim. Ela me ajudou muito, eu não tinha amigos, arrumava briga por qualquer coisa, aí ela apareceu, e tivemos uma conversa muito boa, então ficamos na festa da escol, depois começamos a namorar. Houve o acidente e... tudo o que eu consigo pensar... 24 horas por dia é... Sophi, tem que se curar. Ela é uma pessoa boa, ela é carinhosa, cuidadosa, forte, não desisti quando quer alguma coisa, ela tem a voz mais linda que eu já ouvi, escreve letras lindas...Por que... por que uma pessoa assim, tem que sofrer tanto?

Só quando terminei de falar, é que percebi que estava chorando.

-É o suficiente Pedro. Obrigada, Não foi tão mal assim não é? Pode ir. Fique forte.

-Tchau.

-Tchau.

Subi as escadas, e vi Sophi dormindo tranquilamente, parecia ter um sonho bom, estava com um leve sorriso, tinha vontade de voltar a deitar na cama com ela, mas tive medo de acorda-la, e eu tinha coisas para fazer também. Como ficar um pouco em casa, e fazer os deveres. Sophi não estava mais indo para a escola, mas eu estava.

-Vamos conseguir Sophi.

Então peguei papel e caneta e deixei um bilhete para ela.

Querida Sophi, não quis te acordar, vou passar em casa para fazer alguns deveres. Quando acordar me mande uma mensagem. Amanhã de manhã vou passar aí antes de ir para a escola. Durma bem. Te amo pra sempre.

Pedro.

Me despedi meio sem jeito de D. Ana e saí, pensando com um orgulho enorme, que aquela conversa com a Doutora foi...um jeito bom de desabafar.

Quinze anos

Tantas histórias, tantas coisas já se passaram. Incontáveis sorrisos, lagrimas, desilusões amorosas, dias inesquecíveis, dias que... nem me lembro.
Quantos passeios com os amigos, brigas, reconciliações,  livros, filmes, músicas... em fim, quanta história cabe dentro de cada pessoa!
Sempre vai haver uma música que sempre te fará chorar, sempre vai haver um filme que vai te fazer dar risada, mesmo que tenha o visto mais de 50 vezes (como As Branquelas, quem lembra?)
Quinze anos, não parece muito tempo se formos comparar com a idade de nossos avós, mas é um bom tempo também. Nossa quinze anos! Tanta coisa aconteceu sem eu ter planejado! Quando olho para trás vejo um filme, mas não em preto e branco, e sim com cores vivas, vejo uma garotinha, que não enxergava a maldade, uma garota que fingia ser princesa, fada, sonhava em cantar, tocar violão, escrever música...uma garota com sonhos.
Mal sabia eu que depois de alguns anos, o vizinho chato da minha avó, seria umas de minhas paixões mais intensas. Quem diria que eu me apresentaria cantando e tocando? Quem diria que com 13 anos eu me tornaria "rockeira"? Quem diria que eu realizaria meu sonho indo no show da Miley? Uma cantora que eu sigo fielmente desde os meus 7 anos!
Quem diria que eu conseguiria trabalhar? Não sabia que teria tantos livros em minhas prateleiras! Não sabia que eu iria encontrar amigos maravilhosos e verdadeiros!
Quem diria... 15 anos.
Parece que com essa idade ganhamos mais do que uma festa ou um sapato de salto alto, ganhamos novas responsabilidades, ganhamos mais "pressão", agora as pessoas esperam que eu me comporte como uma adulta, que eu use maquiagem, não assista Bob Esponja (por falar nisso o filme dele estréia no dia do meu niver. Coincidencia?)
Mas quer saber? Não vou ser adulta (que coisa mais chata), vou usar maquiagem, mas não vou me pintar igual uma palhaça todos os dias, não vou assistir um filme suuuuuper chato ao in vez de assistir meu desenho favorito com meu irmão de 5 anos nas manhãs de domingo.
Ainda vou acreditar no amor, cautelosamente claro, mas ainda sim tenho vontade e acredito que vou encontrar.
Tenho novos planos e sonhos para essa nova "fase" de minha vida!
Faculdade, mais apresentadões, novas amizades, viagens, um amor...
Quer saber? Tem muito sonho! Vou viver um dia de cada vez e aproveitar minha nova fase, e levantar um dedo do meio para quem tem algo contra minha vida e meus sonhos.
Contagem regressiva para assoprar as velas.
3...2...1... faça um pedido!



sábado, 3 de janeiro de 2015

Silêncio, silênio agora.

Estamos parados no meio da chuva. Você está assustado com alguma coisa, talvez como o futuro, e por coincidencia eu também estou. Não estamos preparados para enfrentarmos o mundo lá fora. Sempre achei que nós eramos perfeitos um para o outro, nossa história acabou de maneira tão... boba, inútil e prevísivel. Nada a ver com a gente né?
Eu achei que me afastando de todos os meninos era um caminho para nunca partirem meu coração de novo. Mas não vale apena culpar outras pessoas pelos nossos erros, acho que você deveria fazer a mesma coisa. Não culpe ninguém pelo o que nós fizemos.
É estranho, não estou sentindo nada por você, não sei porque, mas ver você correr para se esconder na casa do seu amigo e me observar pelo portão foi tão... infantil, criancice. E eu cansei de criancices, então, eu vou seguir com a minha vida.  Desejo tudo de bom para você, desejo que você não tenha medo do futuro.
Espero de verdade que todos os seus sonhos se realizem. A gente se vê daqui alguns anos, e espero, que tudo tenha se resolvido.

As palavras que eu te dei

Eu me joguei no sofá. O silêncio veio me receber. Suas coisas já não estavam mais no meu apartamento. A gente cansou de brincar de se gost...