Por Geovanna Domingos

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Olhando de um novo ângulo

Algumas pessoas já me falaram que, se eu escrevo músicas sobre amor e relacionamentos meus, eu tenho que estar todo o tempo apaixonada por alguém, ou sofrendo. Na cabeça delas, músicas sobre amor só nascem quando nós estamos magoados ou apaixonados.
Mas isso não é verdade.
Eu não preciso estar com o coração partido, ou gostando de alguém para escrever alguma coisa. Estou em uma vibe de "dar um tempo" e estou muito bem, obrigada. E mesmo assim continuo escrevendo músicas.
Agora olho para trás e vejo que minhas brigas com alguns garotos que foram...cômicas.
Tenho vontade de rir toda vez que me lembro, sofri na época, mas agora vejo que elas apenas me ajudaram a crescer, não sinto raiva de nenhum garoto, porque eu não quero perder meu tempo tendo raiva deles,
Estou indo muito bem, e tudo o que conquistei não precisei da ajuda de nenhum. O que vai adiantar eu ficar com raiva? O que vai adiantar eu ficar lembrando das coisas ruins?
Olhando para trás, gosto de lembrar dos momentos bons, dos momentos em que eles me fizeram rir.
Quando alguém que gostamos nos magoa, por um tempo só conseguimos pensar no mal que aquela pessoa fez para a gente, nos momentos ruins. É como se as boas lembranças fossem deletadas auto maticante de nossa cabeça.
Raiva não é uma coisa boa de se sentir, com o tempo ela vai te dominar e transformar você em alguém que não é.
Lembre de todos os momentos bons que você teve, a sensação de SEGUIR EM FRENTE vai entrar no lugar da raiva.
Então, tente olhar por outro ângulo.




Beijos pessoal!
Ge.
Postar um comentário

As palavras que eu te dei

Eu me joguei no sofá. O silêncio veio me receber. Suas coisas já não estavam mais no meu apartamento. A gente cansou de brincar de se gost...